rochele zandavalli

Dialogando com uma tendência da arte contemporânea ligada à autorreferencialidade, o trabalho de Rochele Zandavalli vem se debruçando sobre técnicas, suportes e diferentes intervenções poéticas relacionadas à pesquisa sobre o retrato fotográfico. Na série Oculto, a artista registra pessoas, tomando os seus corpos como receptáculo de outras imagens. A sobreposição de duas ordens imagéticas - o corpo humano e o corpo de insetos ou flores, estes últimos retirados do universo das fotografias científicas - gera uma espécie de retrato-colagem, impregnado de estranheza e de um efeito desestabilizador interessante. Cores, sombras, e volumes se mesclam no plano bidimensional construindo diferentes relações possíveis. Não se trata de almejar uma narrativa imediata em relações à iconografia do retrato, mas de assumir a artificialidade do resultado como elemento central para a sua reflexão.

Alexandre Santos