rochele zandavalli

As duas séries fotográficas Broderie I, de 2009, e Broderie II, de 2010, também foram importantes caminhos para o desenvolvimento do meu trabalho, pois ambas se centram na temática do retrato fotográfico e no processo posterior de colorização, o qual uniu-se ao bordado diretamente sobre a cópia. O diferencial é que as fotografias não eram apropriadas, mas sim produzidas por mim em estúdio. O fato de trabalhar esta técnica bastante simples e de baixa tecnologia é usado em consonância com as ideias e escolhas já colocadas por mim ao longo de minha trajetória em artes visuais: o questionamento do valor material ou tecnológico, a busca da coexistência entre tecnologias, a mistura entre diferentes técnicas e suportes, a manualidade no fazer, a fisicalidade do objeto fotográfico, bem como uma aproximação maior com o aurático (mesmo que frustrada) em tempos de banalização da imagem massificada ou facilmente reproduzida e descartada. O uso do bordado em meu trabalho também atenta para as relações que se estabelecem entre as artes visuais contemporâneas e a tradição artesanal brasileira.